Risco de escalada de retaliações comerciais é maior hoje, diz diretor da OMC

Brasília - O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, fala à imprensa após reunião com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Risco de retaliações comerciais aumentou com decisão americana de sobretaxar importação de aço e alumínio, diz o  diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, Roberto Azevêdo,Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O risco de escalada de retaliações comerciais aumentou após a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de sobretaxar o aço e o alumínio importados pela maior economia do planeta, disse hoje (12) o diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo. Ele também manifestou preocupação com o risco de paralisação provocado pela não indicação pelo mandatário norte-americano dos juízes que julgam as queixas no organismo internacional.
Apesar do receio de que a decisão de Trump gere uma onda de medidas unilaterais, Azevêdo mostrou-se confiante de que os países-membros da OMC comecem a negociar para evitar esse cenário. “O risco de uma escalada de retaliações comerciais é maior hoje do que era antes, mas acho que todos estão conscientes desse risco. A minha percepção é que o diálogo começa. As partes começam a se falar para evitar ações unilaterais, que não contribuem para a solução e elevam o risco de um efeito dominó.”
Para o diretor-geral da OMC, a organização não está enfraquecida e deve ser mais demandada de agora em diante, em um momento de tensão no comércio internacional. Ele, no entanto, disse que é essencial que os países cheguem a uma solução para preencher as vagas no Órgão de Solução de Controvérsias da OMC, formado pelos tribunais que julgam as queixas comerciais. Depois que o governo de Trump vetou a nomeação de novos árbitros, os tribunais da OMC atuam com quatro em vez de sete juízes, o que atrasa o julgamento dos processos.
“Com relação ao órgão de Solução de Controvérsias, a situação é muito delicada e preocupante. O mecanismo não parou. Continuamos atuando, continuamos ouvindo as apelações. Portanto, não houve paralisação do sistema. Mas se essa situação perdurar, o risco de paralisação é grande. Estamos conversando com outros membros para ver se eles encontram soluções que permitam lidar com essa situação de impasse com várias ideias”, afirmou Azevêdo. Segundi ele, não há prazo para chegar a uma solução.
Economia brasileira
Azevêdo deu as declarações após reunir-se com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, no início da noite. O diretor-geral da OMC disse Meirelles e ele discutiram a tarifação do aço pelos Estados Unidos e as perspectivas para a economia brasileira, consideradas positivas pelo diplomata.
“A economia [brasileira] tem respondido bem do ponto de vista de inflação, de inflação baixíssima, taxa de juros caindo. O crescimento sendo retomado de maneira mais vigorosa. Nossas próprias estimativas estão revendo os números do Brasil para cima. A conversa deu ainda mais confiança com as perspectivas da recuperação da economia brasileira”, afirmou.
Em relação às medidas do governo brasileiro após a tarifação de 25% sobre o aço e de 10% sobre o alumínio pelos Estados Unidos, Azevêdo disse que a diversidade das mercadorias exportadas pelo Brasil amenizará o impacto da sobretaxa sobre a balança comercial (diferença entre exportações e importações). Ele, no entanto, considerou preocupantes as eventuais consequências sobre o setor siderúrgico brasileiro.
“O Brasil é superavitário do ponto de vista de comércio exterior. O país tem uma pauta de exportação muito diversificada, mas não deixa de ser preocupante sobretudo com uma perspectiva setorial. O governo está examinando a situação, está aberto para conversar, encontrar soluções e não descarta nenhuma alternativa”, concluiu Azevêdo.


Edição: Nádia Franco

Fonte: Agência Brasil


from Ebahia News http://ift.tt/2Htt5xU

COMMENTS

Nome

ADEB,1,Bahia,347,Brasil,424,Brasília,1,Camaçari,1,Cláudia Wild,3,Colunista,2,Colunista Jovem,3,Condeúba,5,D'jane Silva,6,Denúncia,21,des,1,Destaque,853,Economia,35,Educacao,10,Elizeu Rosa,19,Entretenimento,58,Esporte,18,Eunápolis,19,Feira de Santana,30,Governador Mangabeira,10,Ilhéus,21,intretenimento,5,Itabuna,23,Jequié,76,Lauro de Freitas,4,Mundo,84,Noticias,1146,Politica,551,Porto Seguro,15,Presidente Tancredo Neves,5,Salvador,428,Saúde,12,Segurança Pública,3,Teixeira de Freitas,22,Vitória da Conquista,33,
ltr
item
Âncora News: Risco de escalada de retaliações comerciais é maior hoje, diz diretor da OMC
Risco de escalada de retaliações comerciais é maior hoje, diz diretor da OMC
http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/styles/interna_grande/public/fotos/1111801-fcpzzb_abr_031220188831_1.jpg
Âncora News
http://www.ancoranews.net/2018/03/risco-de-escalada-de-retaliacoes.html
http://www.ancoranews.net/
http://www.ancoranews.net/
http://www.ancoranews.net/2018/03/risco-de-escalada-de-retaliacoes.html
true
563360971225838415
UTF-8
Todas as publicações Não foi encontrada nenhuma postagem VER TUDO Mais informação Resposta Cancelar resposta Delete Por Home PAGES POSTS View All RECOMENDADO PARA VOCÊ LABEL ARQUIVO SEARCH TODAS AS PUBLICAÇÕES Não encontrou nenhuma correspondência de pós com seu pedido Voltar Início Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Follow THIS PREMIUM CONTENT IS LOCKED STEP 1: Share. STEP 2: Click the link you shared to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy