Ao ‘Jornal Nacional’, Marina Silva promete ‘governo de transição’

Sem uma grande aliança, candidata da Rede afirmou que governará com os melhores de todas as siglas: 'Pessoas boas existem em todos os partidos'. 
A candidata da Rede à Presidência, Marina Silva, que foi entrevistada no "Jornal Nacional" desta quinta-feira, 30 (TV Globo/Reprodução)

 A candidata à Presidência da República pela Rede, Marina Silva, falou nesta quinta-feira ao Jornal Nacional que vai fazer um “governo de transição”, baseado no diálogo com todos os partidos, e que sua eventual presidência não será sabotada pela esquerda ou por quem tenha se desligado de sua sigla nos últimos anos por divergências.

“O Itamar Franco não tinha uma base e conseguiu governar e fazer uma transição”, declarou a candidata da Rede, que não tem uma grande aliança eleitoral. “Em quatro anos eu vou governar esse país pra que a gente possa combater a corrupção e ter um país justo e bom para todas as pessoas.”

Marina foi a quarta candidata a ser ouvida pelo programa da TV Globo. Ao ser questionada sobre as coligações da Rede com PT, PSDB e partidos do Centrão nos estados, Marina disse que todos as siglas possuem bons nomes e que governará com os melhores de cada agremiação. Ela negou ser “oportunista” e disse que o que vale é sua trajetória de mais de 30 anos na política.

“Eu falo isso desde 2010 e tem até gente me copiando: pessoas boas existem em todos os partidos e nós não podemos fazer recortes partidários. Se a gente for olhar só para os partidos fica muito difícil qualquer forma de diálogo político. A gente tem que olhar para as pessoas, para as trajetórias.”

Rede

Marina também respondeu perguntas sobre a dificuldade de criar a Rede, em 2015 – o que a forçou a concorrer à Presidência, um ano antes, pelo PSB –, e sobre a saída de sete integrantes, em 2016, com duras críticas à agremiação pela falta de posicionamento sobre grandes questões nacionais.

A candidata afirmou que considera natural numa democracia que políticos troquem de partidos e declarou que continua mantendo boa relação com antigos quadros da Rede e ex-companheiros do PT, como Eduardo Suplicy, que ela disse que seria incapaz de “sabotar” um eventual governo seu.

Marina negou que a fragilidade da Rede signifique falta de autoridade e afirmou que “ser líder não é ser dono do partido”. A ex-ministra do Meio Ambiente do governo Lula voltou a defender seu posicionamento a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), mesmo com divisão interna da Rede sobre o tema, e disse que, com as informações que tem hoje sobre a Operação Lava Jato, não declararia apoio ao tucano Aécio Neves no segundo turno das eleições de 2014.

Ela também afirmou não ter compromisso com o erro ao responder sobre as denúncias de corrupção que surgiram após a morte de Eduardo Campos (PSB-PE), de quem foi vice. Campos morreu em acidente aéreo em 2014. Ela preferiu não entrar na questão pois o aliado não poderia mais se defender.

Falta de posições

A candidata foi questionada sobre não ter propostas concretas para a reforma da Previdência e para a idade mínima de aposentadoria. Segundo Marina, o tema será discutido com empresários e trabalhadores. Ela afirmou que a diferença na idade entre homens e mulheres será mantida enquanto houver sobrecarga para as mulheres, citando dado de que 80% do trabalho doméstico é feito pelas mulheres.

A presidenciável criticou privilégios, como a aposentadoria no Poder Judiciário.

Agronegócio

Marina afirmou que o agronegócio não pode ser visto como homogêneo e voltou a dizer que irá dialogar. Também afirmou que as licenças ambientais mais difíceis, como a da transposição do Rio São Francisco, saíram durante sua gestão no Ministério do Meio Ambiente e que é preciso parar de olhar para diretorias de licenciamento apenas como “custeio”.

País do futuro

Questionada sobre qual país desejaria para o futuro, a candidata da Rede terminou ressaltando sua trajetória de mulher negra, mãe de quatro filhos, seringueira, empregada doméstica, alfabetizada aos 16 anos e que agora tem o compromisso de “construir um país justo e bom para todos”. Ela afirmou que, por suas características, não quer ser a exceção, mas a regra.

Fonte: Revista Veja


from Ebahia News https://ift.tt/2wvgMOz

COMMENTS

Nome

ADEB,1,Bahia,357,Brasil,432,Brasília,2,Camaçari,1,Cláudia Wild,3,Colunista,3,Colunista Jovem,3,Condeúba,5,D'jane Silva,6,Denúncia,27,des,1,Destaque,873,Economia,35,Educacao,11,Elizeu Rosa,19,Entretenimento,58,Esporte,19,Eunápolis,19,Feira de Santana,30,Governador Mangabeira,10,Ilhéus,21,intretenimento,5,Itabuna,23,Jequié,76,Lauro de Freitas,4,Mundo,85,Noticias,1148,Politica,553,Porto Seguro,15,Presidente Tancredo Neves,6,Salvador,432,Saúde,13,Segurança Pública,3,Teixeira de Freitas,22,Vitória da Conquista,33,
ltr
item
Âncora News: Ao ‘Jornal Nacional’, Marina Silva promete ‘governo de transição’
Ao ‘Jornal Nacional’, Marina Silva promete ‘governo de transição’
https://abrilveja.files.wordpress.com/2018/08/brasil-eleicoes-marina-silva-jn.jpg
Âncora News
http://www.ancoranews.net/2018/08/ao-jornal-nacional-marina-silva-promete.html
http://www.ancoranews.net/
http://www.ancoranews.net/
http://www.ancoranews.net/2018/08/ao-jornal-nacional-marina-silva-promete.html
true
563360971225838415
UTF-8
Todas as publicações Não foi encontrada nenhuma postagem VER TUDO Mais informação Resposta Cancelar resposta Delete Por Home PAGES POSTS View All RECOMENDADO PARA VOCÊ LABEL ARQUIVO SEARCH TODAS AS PUBLICAÇÕES Não encontrou nenhuma correspondência de pós com seu pedido Voltar Início Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Follow THIS PREMIUM CONTENT IS LOCKED STEP 1: Share. STEP 2: Click the link you shared to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy